Metamorfose do corpo

Metamorfose do corpo.

Dentro de minha experiência tenho explorado a figura humana de tal forma absorvendo e dissecando-a, que começo a desmembra-las chegando a sua expressão mais simples,

em direção ao surrealismo, sem contudo abandonar minhas origens no orgânico.
O gosto pela experimentação constante, me leva a utilizar a resina e o bronze, permitindo-lhe caminhar da densidade a transparência, as formas e a linha do corpo.
Alinhando sentimento e rigor profissional, é na busca do equilíbrio perfeito que procuro encontrar a liberdade, respeitando minha autenticidade criativa, o infinito que existe dentro, o tudo e o nada.
” O vazio é a origem de toda forma, não tem nome e é a base de tudo que tem nome. O que está silenciado é mais importante do que é enunciado. Observador imerge neste espaço, e nessa imersão, ele se encontra e não se encontra. Através da calma aparente existe a tensão do ser; aparecer e desaparecer”.
São emoções diferentes que me levam aos sonhos e sombras, interpretando sentimentos, viajando espaços psíquicos e nas energias mais íntimas.
Roberto Oliver

Somos Refugiados (Revisado Noite)

Somos Refugiados ( Revisado Dia)

O Inevitável Noite

O Inevitável

Metamorfose